Sábado, 20 de Abril de 2024
°

Geral Inédito

Padre que esteve nos festejos de Pedro II passa em medicina, despede-se do Piauí e pede que fiéis não parem de estudar

Padre Neto esteve em Pedro II na 8ª Noite dos Festejos do ano passado.

22/02/2024 às 19h49
Por: Gustavo Mesquita Fonte: Cidade Verde
Compartilhe:
Padre que esteve nos festejos de Pedro II passa em medicina, despede-se do Piauí e pede que fiéis não parem de estudar

 

 

Quando fez o curso em Roma sobre exorcismo, há cerca de dois anos, o padre piauiense Raimundo Nonato do Rego Neto, 41 anos, tomou uma decisão que iria mudar sua vida. Faria o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para tentar o curso de medicina e realizar um sonho antigo. Abriu mão de várias coisas, voltou para sala de aula e com muita determinação conseguiu a aprovação. Nesta sexta-feira (23), o padre Neto se muda para Campinas, em São Paulo, para fazer o curso de medicina, um dos mais disputados do País. Ao concluir o curso, entrará para a história como o primeiro médico padre do Piauí.

Padre Neto esteve em Pedro II na 8ª Noite dos Festejos do ano passado. Ele participou ativamente das celebrações e contribuiu para o espírito festivo da ocasião, emocionando os fiéis com sua pregação e animação.

A despedida do padre virou uma comoção em Teresina. Um pároco bastante querido, ele é uma referência principalmente entre os jovens e idosos. Fundador da comunidade católica ORE (Orando em Resgate da Espiritualidade), no bairro Mocambinho, padre Neto é pároco da igreja Nossa Senhora das Candeiras, no bairro Morros e acompanha o grupo Filhos de Nossa Senhora, na igreja do Cristo Rei.

Para conseguir a vaga, o padre Neto teve que dividir seu tempo entre a igreja e a escola. Assistia aula das 7h às 12h30 em colégio particular. Ele informou que estudava cerca de 3 a 4 horas por dia, geralmente de madrugada, e chegou a contratar uma professora de redação.

Seus pais são da cidade de Barras, mas ele foi criado em Teresina, no bairro Mocambinho. Padre Neto fez o seminário e admite: “sempre ficou dentro de mim aquele desejo de um dia ser também médico”.

Ele disse que essa vontade de ser médico cresceu também quando fazia escuta, acolhimento e orações para as pessoas com síndrome de pânico, depressão, com ideação ao suicídio e outros problemas de saúde mental.

“O curso em exorcismo em Roma abriu muitas portas para mim. Todos os mestres, catedráticos eram padres, doutores, PhD e pesquisadores em medicina. E vi que havia possibilidade e comecei a pesquisar e vi que no Brasil sempre teve dentro da igreja a área médica”.

Como conseguiu transferência para Campinas, o padre Neto fará o curso de medicina durante a semana e no final de semana ajudará a paróquia de Campinas.

“É um grande desafio. Estou indo com licença que me garante a possibilidade de celebrar missa onde residir, no caso, Campinas onde vou cursar medicina”.

Ele vai estudar na Universidade Paulista, que é privada, e ficará em alojamento católico. Ele disse que conseguiu financiamento do Fies que ajudará a fazer o curso.

“A semana estarei na universidade e no final de semana celebrando a missa”.

Não parem de estudar

Para conseguir aprovação no curso, o padre teve que mudar sua rotina. Durante entrevista, ele recomendou que os piauienses não parassem de estudar.

“Com estudo você vai onde quiser. Abre novos horizontes e meu desejo é ajudar. Tive que me adaptar, escrevia redação e trazendo as coisas para a vida. Às vezes ia fazer minha pregação e eu escrevia a redação, que já era a pregação. Muitas portas estão se abrindo, muita gente ajudando. Eu creio para nós do Piauí que a gente se dedicasse mais a estudar.

Quer se especializar em psiquiatria

Devido a sua atuação atendendo pessoas com problemas de saúde mental, ele disse que quer se especializar em psiquiatria. No entanto, disse que pode também trabalhar com crianças na área de pediatria.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.