Sábado, 22 de Junho de 2024
°

Cultura Coluna do Ernâni

O Festival de Inverno de Pedro II, 18ª Edição

ERNÂNI GETIRANA (@ernanigetirana) é professor, poeta e escritor. É autor de inúmeros livros, dentre eles “Debaixo da Figueira do Meu Avô”. É membro da APLA, ALVAL, UBE-PI e do IHGPI.

08/06/2024 às 09h29 Atualizada em 08/06/2024 às 09h30
Por: Ernani
Compartilhe:
O Festival de Inverno de Pedro II, 18ª Edição

 

E eis que vivenciamos por estes dias o maior, o mais midiático, o mais completo festival já havido em terras piauienses. Estamos falando do Festival de Inverno de Pedro II.

Em sua 18ª edição nesse ano de 2024, o festival só deixou de ocorrer durante a pandemia por Covid.

Já escrevemos em outros lugares que o Festival de Inverno de Pedro II é fruto de uma série de acontecimentos sociais, históricos e culturais ocorridos ao longo de décadas. Os acontecimentos culturais citados como que testaram as possibilidades reais de a cidade de Pedro II sediar um festival dessa monta.

A 1ª edição, já entrou para a História. O ano era 2004, governo Carlos Braga, tendo à frente como proponentes e mentores do evento o advogado Eduardo Filho e o engenheiro e músico Júlio Medeiros (mais uma rede de amparo composta pela prefeitura local, SEBRAE, Governo Estadual, etc).

Um casal de Guaramiranga, CE, veio prestar a consultoria e mais uma equipe local afiadíssima (mais de 40 pessoas), tudo isso contribuiu para que desde o seu início o festival fosse exitoso.

Cada uma, cada um que participou de edições do Festival tem suas histórias para contar. Eu devo ter umas cem.

Por exemplo, o Hermeto Pascoal, o mago do som, primeira apresentação da 1ª edição, em 2004, tocando seu piano de calda no palco ainda baixinho, rodeado de ouvintes, eu inclusive, e tendo que parar e pedir para que os donos de bares desligassem o som só por alguns minutos. Não foi atendido e continuou tocando sua bela música, numa chaleira contendo água, inclusive.

Ainda tenho o autógrafo do mago da música em uma das tábuas ‘sobrantes’ dos ‘calços’ do palco.

As passagens de som das muitas bandas, a vinda do Stanley Jordan (!) com o amigo Armandinho. Gal sendo Gal num show fenomenal. Jorge Ben Jor, Gadú, Ducan, Garrido, Fagner. etc, etc etc. Enfim, como diria o outro (que ainda virá?),’ são muitas emoções’.

Há aspectos do festival que devem ser melhorados? A resposta é sim. Em cada edição essa pergunta vem nos rondar.  Eu, de minha parte, proponho que voltemos a realizar as oficinas de arte e cultura pedro-segundenses que tanto brilharam na primeira edição.

(*) Fotomontagem com fotos colhidas da internet. A foto da igreja é de autoria de Neto Santos.

Ernâni Getirana (@ernanigetirana) é professor, poeta e escritor. É o autor, dentre outros livros, de “O Festival de Inverno de Pedro II e outras Histórias.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Cultura com Profº Ernâni Getirana
Cultura com Profº Ernâni Getirana
Sobre Ernâni Getirana, professor, lecionou na UESPI e Faculdade Santo Agostinho, aposentado na Rede Estadual de Educação, Ecoescola Thomas a Kemps. Ainda na ativa na Rede Municipal de Educação de Pedro II. Formado em Letras pela UFPI, graduado em Meio Ambiente pela UnB, graduado em Educação pela UFRJ, mestre em Políticas Públicas pela UFPI. Membro das academias: Vale do Longá e Pedrossegundense de Letras e Artes. É poeta e escritor, autor de vários livros, dentre eles “Lendas da Cidade de Pedro II”.
Atualizado às 21h00 - Fonte: ClimaTempo
°

Mín. ° Máx. °

Dom °C °C
Seg °C °C
Ter °C °C
Qua °C °C
Qui °C °C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes